Ciclo Operacional como fator no processo de tomada de decisão

Ciclo Operacional como fator no processo de tomada de decisão

 

Quando decidimos iniciar este projeto definimos como meta apresentar informações relevantes objetivando levar nossos leitores a reflexão sobre os mais diversos campos da gestão e, assim, consequentemente auxiliando-os no desenvolvimento desta importante área do mundo dos negócios.

E seguindo esta orientação teremos como tema o Ciclo Operacional que é formado por um conjunto de indicadores de prazos médios (estocagem, recebimento e pagamento) que mostram ao profissional de qualquer área o quanto a sua organização está não só gerando valores, mas como também criando uma sistemática de formação de capital de giro por meio da geração de caixa e, por ser um assunto complexo e um tanto quanto longo dividiremos este artigo em três partes.

Na consecução de suas atividades operacionais, a empresa persegue sistematicamente a produção de bens ou serviços e, consequentemente, vendas e recebimentos. Procura ela, com isso, a obtenção de determinado volume de lucro, os quais possa satisfazer às expectativas de retorno de suas fontes de financiamento.

É no desenvolver de todo esse processo que se identifica de maneira normal e repetitiva o ciclo operacional da empresa, o qual pode ser definido como as fases operacionais existentes no interior da organização, que vão desde a aquisição de materiais para a prestação de serviços até o recebimento destes.

Os índices que compõe os denominados prazos médios são indicadores de atividade operacional, que permitem controlar e gerenciar o capital de giro de todas as empresas. Enfim, medem o que existe de mais operacional da empresa: sua atividade propriamente dita.

O capital de giro é reflexo da administração do fluxo de caixa, e consequência da política de administração da capacidade em manter-se um fluxo contínuo nas atividades operacionais. Os indicadores da atividade operacional são mais dinâmicos e permitem que seja analisado o desempenho operacional da empresa e suas necessidades de investimentos em giro.

São utilizados para medir a velocidade de transformação dos serviços prestados em caixa, seus ciclos de pagamento e a gestão do estoque. Os dados são analisados em forma de séries históricas, que permitem a elaboração de gráficos, assim, por meio de uma análise pode-se verificar tendências e projetar situações futuras. Tais medidas são, efetivamente, indicadores mais precisos de rotatividade dos componentes patrimoniais que interessam à gestão financeira.

O primeiro indicador que forma o Ciclo Operacional é PMRE – Prazo Médio de Renovação de Estoques que revela o tempo médio que os materiais totais de um consultório permanecem armazenados à espera de serem consumidos na prestação de serviços, em outras palavras, objetiva indicar em números de dias que decorrem entre a compra do produto e sua efetiva utilização.

A fórmula de aplicação deste indicador não é complexa, mas depende, necessariamente de uma gama de informações relevantes, muitas vezes “esquecidas” pelo profissional, mas de fundamental importância para a aplicação da gestão que no caso de um consultório odontológico torna-se um fator de extrema importância. Em última análise: “ganhará mais, quem gastar menos”

Figura 01 -Fórmula do Prazo Médio de Renovação de Estoque:

 

PMRV – PRAZO MÉDIO DE RENOVAÇÃO DE ESTOQUES

 

Estoque  x 360

Custo dos Serviços Prestados

 

 

Estoque Médio

CPV /CMV/CSP

Interpretação isolada do resultado: Quantos dias em média a empresa renova os itens do estoque que comercializa ou utiliza
Quanto menor for o índice melhor é o resultado
Expresso em número de dias

Ao analisarmos as variáveis que formam a fórmula acima descrita percebemos que o controle de estoque e a correta visão e controle de custos são fatores preponderantes para o cálculo deste indicador. Visando agilizarmos a captura de dados lembramos que uma das fontes inesgotáveis de informações encontram-se no Demonstrativo de Resultado do Exercício – DRE, ou seja, o tratamento dos dados dentro do regime de competência (regime contábil), sendo o Custo dos Serviços Prestados revelados nesta ferramenta que evidencia seu valor a partir do cálculo: CSP = Estoque Inicial + Compras do Período – Estoque Final.

Durante nossos trabalhos de campo nos mais diversos seguimentos, mas principalmente em consultórios odontológicos, sempre partimos da implantação do regime de competência, na qual nos possibilita uma rápida visão e compreensão dos indicadores de performance do negócio.

Uma vez levantado o valor total do estoque onde sempre aplicamos a metodologia de média ponderada móvel que nos possibilita calcular o custo, multiplicamos este valor por 360 (trezentos e sessenta) dividindo o resultado pelo custo do serviço prestado e assim obtemos o prazo médio de renovação do estoque.

Este indicador além de nos revelar o PMRE nos orienta igualmente no controle de estoque e simultaneamente nas programações de compras, evitando desta maneira a estocagem de produtos em excesso e a imobilização de recursos financeiros fortalecendo nosso capital de giro.

Ao final do terceiro artigo apresentaremos a composição de todo o ciclo operacional e simulações de sua aplicação, sendo que no próximo abordaremos o PMRS – Prazo médio de Recebimentos de Serviços e o PMPC – Prazo Médio de Pagamento de Compras.

Gestão, pratique esta ideia e evite a autogestão dos seus negócios, consulte sempre um especialista.

Fernando Schiavetto é Consultor empresarial especializado na área de saúde. 

https://fernandoschiavetto.blogs.sapo.pt/ fschia2@gmail.com

Comments

0 Comentários desativados em Ciclo Operacional como fator no processo de tomada de decisão 83 16 junho, 2019 Fernando Schiavetto, Financeiro e Contábil junho 16, 2019
Fernando Schiavetto

About the author

Fernando Schiavetto é formado em Adm. de empresas, com especialização em Adm. Hospitalar, Didática de Ensino e MBA em Gestão Empresarial. Mais 30 anos de experiência na área de saúde como gerente, diretor e consultor, durante mais de 10 anos responsável pelo curso de Adm de consultórios do CETAO e professor universitário nas áreas de Adm, Finanças, Estratégia, custos e contabilidade.

View all articles by Fernando Schiavetto

Pesquisa

Cursos

Facebook